InícioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-seCalendário

Compartilhe | 
 

 Reclamação de Paternidade Olimpiana

Ir em baixo 
Ir à página : 1, 2, 3  Seguinte
AutorMensagem
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Seg 30 Jan 2012, 19:29

RECLAMAÇÃO


Olá indefinido, antes de começar o jogo você deve ser reclamado por algum deus mitológico (pode-se efetuar treinos antes da reclamação), mas antes deverás preencher uma ficha e postar neste mesmo tópico. Nem sempre você passará no teste, mas não desanime, tente novamente ou procure por outro deus.

OBS: No caso de Zeus, Poseidon e Hades esta ficha não é válida, pois estes deuses efetuam testes mais severos. Os Três Grandes fazem concurso mensal para a escolha de um novo filho.

Ficha de Reclamação:

O1 — Por qual Deus você deseja ser reclamado?
O2 — Cite suas principais características, e o porquê de querer ser filho de tal Deus.
O3 — Relate a história da sua personagem - não haverá um limite de linhas definidos, deixe a sua criatividade fluir.

.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Dom 08 Abr 2012, 17:37

01- Hipnos

02-Suas principais características são: Ele pairava suavemente sobre o Planeta, levando a todas as criaturas vivas o descanso abençoado e restaurador e o poder que ele tinha com uma flauta de fazer os outros ficarem com sono. Ele era o deus do sono eterno.

03- Tudo começa na cidade de New York. Era uma doce menina que tinha uma mãe muito carinhosa e um padrasto pior que o Cães Infernais, era podre, e trabalhava com jogos de poker. Certo dia ela foi fazer uma apresentação em sua escola, já que a aula de música era a única em que ela conseguia se sair bem. Só que assim que ela começa a tocar a flauta que foi a única coisa que seu pai a deixou. Porem sua melhor amiga no meio de sua apresentação viu que estava fazendo todos caírem no sono então correu ao palco e a tirou de lá. Na mesma hora chamou a mãe de sua amiga e a pediu que levasse ela ao acampamento.


Última edição por Beatriz_Silva em Ter 10 Abr 2012, 16:23, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Seg 09 Abr 2012, 20:45

Beatriz refaça somente a parte da historia por favor
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Ter 10 Abr 2012, 15:56

01- Atena, Deusa da Sabedoria e da Estratégia de Guerra.

02-Surgiu toda armada do cérebro de Zeus, depois de ter ele engolido seu primeira esposa Métis.
Era o símbolo da inteligência, da guerra justa, da casta mocidade e das artes domésticas e uma das divindades mais veneradas.
Um esplêndido templo, o Partenon, surgia em sua honra na Acrópole de Atenas, a cidade que lhe era particularmente consagrada.
Obra maravilhosa de Ictino e de Calícrates, o Partenon continha uma colossal estátua de ouro dessa deusa, de autoria do famoso escultor Fídias. / Eu gostaria de ser filha dela pois é a Deusa/Deus que eu mais me identifico.

03- Minha personagem nasceu em uma cidade pobre e sempre se destacou na escola por sua inteligência. Um dia, ela encontra o pai dela morto, e uma senhora bonita. Depois ela descobre que essa mulher é Hera, a deusa do casamento. Hera à leva para um acampamento, o acampamento meio-sangue, um lugar para semideuses. Depois de uns dias, ela descobre que é filha de Atena, e conhece um filho de Apolo. Eles passam a ser melhores amigos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Zeus
Deus
Deus
avatar

Mensagens : 35
Data de inscrição : 17/12/2011

Ficha Meio-Sangue
Vida:
99999/99999  (99999/99999)
Energia:
99999/99999  (99999/99999)
Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Ter 10 Abr 2012, 17:37

Gente a historia pode ser mais complementada e as Características são as do personagem.
Mais errando que se aprende, Bem Vindos ao Fórum.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://rpgpercyjackson.forumeiro.com
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Qua 25 Abr 2012, 16:46

O1 — Ares
O2 — Eu Herdei do meu pai a capacidade de Ter poderes sobrenaturais e com capacidade de ser o SR das Guerras e eu sempre sou um dos melhores guerreiros
O3 —
Meu personagem e Herdeiro do Trono de Ares e ele e muito corajoso e agressivo parcialmente quando ele fica furioso dizem que é capaz de sentir sua fúria sobre suas almas temerosas, aquele que nunca se sente só que além de ser um Super Guerreiro é que foi treinador pelo próprio pai (Ares) é assim ele se torno um dos Semi-Deuses Mais Vivos de todos Ares Engravidou uma Mortal chamada Inisis Jackson nesse tempo meu pai namorava minha mãe so que o tempo veio e o Deus da Morte veio a buscar e desde de pequeno eu demonstrava a iria de meu pai eu não queria deixar ela ir embora então eu lutei com o Deus da Morte ele quase me mata mas meu pai veio me salvar e me levo para treinar no Templo dele e chegando la eu treinei e quando fiz 18 anos todos ja sentiam a minha iria como o mais destemido decide ajudar meu povo e aquele que ousar me enfrentar sentira a Grande Fúria do Filho de Ades.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Sex 18 Maio 2012, 17:01


Nina D'Lambert Lankfort ,
And it's hard to dance with a devil on your back, so shake him out

x x x



Minha mamãe... (1)
Bueno, eu gostaria de ser reclamada pela deusa Íris, patrona do arco-íris e mensageira dos deuses, conhecida assim tanto na mitologia romana quanto na grega.




Como eu sou? (2)
Não sou como uma daquelas garotas que se olha no espelho e sempre pensa estar mais gorda ou feia, mas realmente não suporto minha altura. Tenho 1,65 metros e me sinto muito alta para minha idade. A parte preferida do meu corpo inteiro são meus cabelos, primeiramente eles eram loiros, porém eles se modificam de acordo com a luz no lugar ou meu humor, nos casos mais graves, o que os tornam multicoloridos. Eles são lisos como uma cascata natural. Meu rosto sugere exatamente como sou, uma garota animada. Estou sempre sorrindo desde que tirei o aparelho dos dentes e meu ditado preferido diz exatamente a verdade, "Os olhos são a janela da alma". Os meus são de um azul escuro que lembra o oceano numa tempestade e têm uma expressão fixa de menininha sonhadora.


Se meus amigos pudessem me definir em apenas uma palavra seria bipolar. Posso ser garota mais chata do mundo, sem senso de humor e raiva que poderia causar a terceira guerra mundial, mas também pode ser aquela que está sempre feliz e a solidariedade em pessoa . Acho que o fato de eu ler muito me tornou uma menina muito ingênua , sonhadora, e esse é meu maior defeito. Sempre acho que tudo vai acabar bem, que todas as pessoas são boas e gentis. Nos jogos entre chalés sou uma das mais positivasSempre torcendo para que nosso time vença. Sabe, apesar de tudo creio que eu seria sua pior inimiga se me desafiar, sou uma ótima estrategista e quando alguém me ofende... Sai de baixo! Em relação aos Jogos e Desafios entre chalés coloco em prática minhas características mais competitivas. Sou muito observadora, sempre foco no ponto fraco de um adversário, e bastante esforçada na hora de competir.




História para Boi Dormir! (3)
Era uma vez um princesinha chamada Nina, ela vivia num mundo encantado, longe de todo mal da Terra e das responsabilidades. Tudo era maravilhas e arco-íris, até que ela cresceu e percebeu que há muito mais maldade do que bondade no mundo, mas ela não desistiu de ser feliz.

Nina tinha tudo para ser uma patricinha mimada, filha de um empresário riquíssimo dono de uma imensa rede musical, mas seguiu um caminho diferente. Seu pai era maravilhoso, a educou da melhor maneira possível e não escondia a pobreza de Chicago, local onde viviam. Ela frequentara escola particulares perfeitas para os ricos, mas sofreu bullying durante sua vida inteira. As colegas xingavam-na por não usar roupas de marca e por ser inteligente. Quando completou doze anos ela estava cansada, foi conversar com seu pai e pediu para que a transferisse para um colégio público. No final daquele mesmo ano, toda a papelada estava completa e tudo estava arrumado para a mudança. Durante o verão, Nina resolveu repaginar o visual. Adotou um estilo completamente diferente, agora se vestia como uma artista. Sempre gostara de cores.

Depois dos três meses de férias, ela se sentia realizada. Sua primeira semana na escola pública fora maravilhosa. Ela se tornara a garota mais popular no nono ano de uma maneira boa, era gentil com todos e não desrespeitava ninguém. Era muito querida. Foi durante as férias de inverno que Nina descobriu sobre sua verdadeira origem, da pior maneira possível. Durante seu aniversário de treze anos, o primeiro mostro atacou sua casa e tentou matá-la. Seu pai já estava bem à frente, mantinha uma espécie de bunker no quintal para quando isso acontecesse. Pai e filha fugiram para o abrigo e ela ficou sabendo de tudo. Com a ajuda de uma saída estratégica no bunker, os dois pegaram o carro e partiram para o primeiro voo para NY. Lá, seguiram para o acampamento meio-sangue.





Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Sex 18 Maio 2012, 17:23

Reclamação - Ulisses Robert Castellan
O1 — Por qual Deus você deseja ser reclamado? Desejo ser reclamado por Apolo,o deus do Sol.
O2 — Cite suas principais características, e o porquê de querer ser filho de tal Deus. Sou esperto,inteligente,forte,determinado,corajoso e valente,assim como Apolo. Quero ser filho do Deus-Sol porque gosto de seus poderes e habilidades,e seria uma honra ser filho dele.
O3 — Relate a história da sua personagem - não haverá um limite de linhas definidos, deixe a sua criatividade fluir.
Ulisses nasceu na Flórida,em 15 de Julho de 1995. Desde pequeno,tinha problemas em se relacionar com outras pessoas,pois vivia solitário em um orfanato. Sua mãe morrera logo quando ele nasceu,e seu pai havia sumido.
Não tinha muitos amigos,pois sempre foi muito excluído,e gostava de viver sozinho. Tinha graves problemas de hiperatividade,o que o impossibilitava de aprender muitas coisas.
Um dia,ele e seu novo amigo,Turvan,desciam as escadas para a aula de Matemática,e então,dois homens altos,feios,fortes e com um enorme olho no meio os atacaram. Os dois correram atrás deles,mas,por sorte,conseguiram sair do orfanato.
Turvan então,contou á Ulisses que ele era,na verdade um sátiro,e que ele era um semideus. Logo,o menino contou á ele sobre um acampamento,dizendo que era o lugar mais seguro.
Não demorou muito para que eles chegassem,e para que fossem recebidos com muita alegria e festa.
-Bem vindo,Ulisses Castellan,filho de Apolo.
Um centauro disse.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Sab 19 Maio 2012, 18:46

1-HEFESTO
2-ROBERTO É MUITO BOM EM MONTAR COISAS, BOM EM MECÂNICA, GOSTA MUITO DE FOGO,NÃO É MUITO BOM EM ME RELACIONAR COM AS PESSOAS,É MUITO ALTO E MUSCULOSO,NÃO SENTE MUITA DOR E GOSTA DE INVENTAR ARMAS

3-TUDO COMEÇOU QUANDO SUA MÃE DECIDIU ACEITAR UM EMPREGO EM NOVA YORK,NAQUELA ÉPOCA ELE TINHA 8 ANOS,E HOJE COM 16 SE ARREPENDE MUITO DISSO.
SUA MÃE É UMA ENGENHEIRA MECÂNICA,COM ESPECIALIZAÇÃO EM MECÂNICA QUÂNTICA,E QUANDO RECEBEU UMA PROPOSTA DE EMPREGO DE UMAS DAS MAIORES INDUSTRIAS DE ROBÓTICA,NÃO PENSOU DUAS VEZES,EM SE MUDAR DE OKLAHOMA PARA O MANHATTAN,ONDE O PESADELO DE ROBERTO COMEÇOU.
ELE É DESCENDENTE DE BRASILEIRO E DE ESPANHOLA,MAS SUA MÃE SE MUDOU CEDO PARA O E.U.A,POR ISSO ELE SABIA FALAR PORTUGUÊS,ESPANHOL E INGLÊS.QUANDO SUA MÃE SE MUDOU ELA O MATRICULOU EM UMA ESCOLA BOA ESCOLA,MAS FOI LOGO EXPULSO,POR QUE UM MONSTRO APARECEU E DESTRUIU UMA SALA,A QUE ELE ESTAVA.E ISSO CONTINUOU EM TODAS AS ESCOLAS QUE ELE FREQUENTOU,SE NÃO ERA MONSTRO ERA UM INCÊNDIO INEXPLICÁVEL,NO QUAL ELE SEMPRE ERA O CULPADO.NA NOITE DE SEU ANIVERSÁRIO DE 16,ELE ENTROU EM CASA E VIU SUA MÃE CONVERSANDO COM UM CARA ENGRAÇADO,COM UM CHAPÉU DOS YANKEES ,COM UM ESTRANHO JEITO DE ANDAR E QUE ESTAVA COMENDO UMA LATA DE ALUMÍNIO.QUANDO SUA MÃE O VIU,SAIU CORRENDO E O ABRAÇOU,E MURMUROU:
-DESCULPE MEU FILHO,MAS NÃO TEM OUTRO JEITO,VÁ COM ESSE MOÇO,E SEU PAI VAI LHE EXPLICAR TUDO.
E DIZENDO ISSO ELA VIROU E CORREU PARA O QUARTO E TRANCOU A PORTA.O CARA ENGRAÇADO O OLHOU E DISSE,LEVANTANDO UMA MOCHILA CHEIA DE COISAS DO ROBERTO:
-ACAMPAMENTO MEIO SANGUE,PRÓXIMA PARADA.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Sex 25 Maio 2012, 02:58

O1 — Por qual Deus você deseja ser reclamado?
Dionísio

O2 — Cite suas principais características, e o porquê de querer ser filho de tal Deus.
Sou uma garota divertida, animada, amo festas, todos me amam, onde estou só existe alegria. Tenho mudanças de personalidade e sou um tanto bipolar. Amo dançar. Consigo tudo o que quero, é acho muito enganar as pessoas.
Quero ser filha do deus das festas e dos vinhos, pois é na minha opinião o deus que mais combina comigo


O3 — Relate a história da sua personagem
Desde pequena sinto que não sou como as outras pessoas, sempre me encaixei em todos os grupos, mas nunca fui realmente feliz dentro deles. Eu cresci sem um pai, minha mãe sempre me disse que ele era um cara importante e que não pode nos assumir, porém que ela foi feliz em todo tempo que esteve com ele. Mas isso nunca me bastou, pois não o tive comigo, então nunca fui feliz como minha mãe. Sempre tive dificuldades para ler e escrever em meu idioma, no entanto quando fazia aulas de outros idiomas era tão fácil que as aulas me pareciam sempre chatas pela facilidade delas. Sempre amei frequentar festas, dançar e obviamente beber, nossa, como vinho é algo tão bom e revigorante, principalmente onde nasci, Montréal, Québec, Canada, um lugar onde o frio reina e um bom copo de vinho pode nos aquecer. Na escola participei do grupo de esgrima e de teatro e sempre fui a melhor nos dois.
Durante um passeio da escola, isso nos meus 14 anos de idade, visitamos um zoológico e lá havia diversos animais bem interessantes, eu já havia ido uma vez aos 11 anos, mas a parte que sempre me interessou era a dos felinos, principalmente os leopardos, tinha algo de interessante neles, algo especial, eles me atraiam e de alguma forma eu conseguia entende-los.
Neste mesmo dia quando fui comprar algo para comer encontrei um monstro(Fúria) e tentou me atacar, mas eu sai correndo e no desespero pulei dentro da jaula dos leopardos e ela tentou ir atrás de mim porém os leopardos as atacaram, durante essa distração eu sai pelo o outro lado e corri de volta para minha casa onde eu achava que era seguro, mas dias depois no meio de um passeio ao shopping, fui novamente perseguida pelo mesmo monstro e tive que lutar, e foi quando derrotei o meu primeiro mostro e decidi que tinha que fugir de casa para não colocar a vida da minha mãe em risco e também para não ser internada num hospício por ser a única que via os monstros. Aos 18 anos durante uma perseguição da qual fugia de um minotauro, encontrei um Sátiro, nestes anos passei a pesquisar sobre os monstros que me perseguiam para descobrir o porque e assim conheci a Mitologia, que me prometeu levar a um lugar seguro, após derrotar o Minotauro fui com ele para o Acampamento Meio-Sangue, obviamente depois de reencontrar a minha mãe, contar a ela tudo e me despedir.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Zeus
Deus
Deus
avatar

Mensagens : 35
Data de inscrição : 17/12/2011

Ficha Meio-Sangue
Vida:
99999/99999  (99999/99999)
Energia:
99999/99999  (99999/99999)
Arsenal:

MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Sex 25 Maio 2012, 13:15

Percy Jack - Melhore somente a História.
Roberto Fuegodrago - Melhore somente a História.

Nina Lankfort - Reclamada!
Ulisses R. Castellan - Reclamado!
Brunia M. Conystter - Reclamada!


Desculpem a Demora Para olhar aqui, estávamos arrumando alguns detalhes do fórum.
~Atualizado~
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://rpgpercyjackson.forumeiro.com
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Sex 25 Maio 2012, 14:46

FICHA DE RECLAMAÇÃO

1- Por qual Deus você deseja ser reclamado?
Quero se filha de Ares
2- Cite suas principais características, e o porquê de querer ser filho de tal Deus.
Alegre,Feliz,Meiga mais tem uma coisa que me atrai mais é ver sangue e porque eu me atraio com o Ares por que eleé o deus da guerra e como sabemos nas guerras sempre tem sangue então gostaria de ser filha dele por causa das guerras.
3 — Relate a história da sua personagem
Nome:Gabriela McDermott
Idade:17 anos
meu hobby: hm.. um dia eu te conto
Nome dos meus pais:Sophia McDermont e meu pai ainda nao tenho.
Como ja falei era um dia como qualquer outro quando estava na escola quando percebi que eu era diferente mais nao sabia que jeito era este diferente mais eu adorava uma bria este era meu defeito eu era anormal por que queria brigar todo dia mais foi quando um montro veio uma pessoa dizendo que eu era especial e era para mim perguntar para a minha mae que ela tinha a resposta... um tempo depois
perguntei a ela e ela me falou " filha vc acredita em deuses " e claro que respondi não e ela falou" mais você devia acreditar sabe o por que ?" e eu disse"por que"..Por que vc é filha de um deus... depois que recebi esta noticia fiquei assustada e começei a pensar dai minha mae decidiu me levar para o acampamento pois la ia estar bem e ai eu fui...
Tagged: Pessoas Clothes: AQUI! Credits: Vitória Paura @ ETVDF
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Seg 28 Maio 2012, 07:53

Gabriela McDermott Reclamada Filha de Ares
Roberto Fuegodrago Reclamado filho de Hefesto
Beatriz_Silva Reclamada filha de Hipnos
Bela Wanderley Reclamada filha de Atena
Percy Jack Reclamado filho de Ares

Sejam Bem Vindos Novos Campistas !

Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Ter 29 Maio 2012, 17:14




{#} Reclamação


O1 — Por qual Deus você deseja ser reclamado?

Gostaria de ser reclamado por Hefesto (Hephaistus) ou Vulcano segundo a mitologia romana. Deus considerado patrono do fogo, da metalurgia, dos vulcões e também das tecnologias.

O2 — Cite suas principais características, e o porquê de querer ser filho de tal Deus.

Sou um garoto simples, simpático com amigos, fiel a eles. Em horas de luta, não me deixo abater facilmente. Vejo que eu possuo uma grande resistência em meio a temperaturas altas, grandes esforços físicos e a fortes ataques. Bom eu digamos, não sou o mais belo dos garotos do acampamento, como falei sou simples e humilde, mas quando possível eu me arrumo direitinho - Risos - Eu atualmente com 17 anos, estou medindo 1,87, cabelos castanhos bem claros, olhos azuis, possuo algumas cicatrizes, mas nada que fica tão amostra e que possa me envergonhar e tenho um porte físico meio que atlético, mas acho que isso é devido a horas de meu trabalho em metalurgias, ferreiros entre outras coisas. Sempre gostei de trabalhar nessa área, vi que tinha uma grande facilidade para montar objetos ou mesmo consertar. Eu notei esse meu dom aos 5 anos quando eu brincava com meus amigos de carrinhos, maioria feita de ferro, então os deles sempre quebravam e eu o pedia a eles dizendo que poderia consertar. Não passavam minutos, acho que tudo em minha cabeça se encaixava, parecia que eu sabia o que fazer, o que usar para consertar e isso aos 5 anos. Entregava os carrinhos de volta e voltávamos a brincar. Tive uma infância alegre e feliz, pois bem tudo que eu ganhava era raro de quebrar. Bom isso é o que sei sobre mim até agora, pretendo descobrir mais e mais...

O3 — Relate a história da sua personagem - não haverá um limite de linhas definidos, deixe a sua criatividade fluir.

Sabe aquele garoto considerado feio pelas garotas do colégio, digamos que um pouco nerd e também excluído de sua sala escolar ? Bom esse sou eu Alexander Gerrard Damon, irei lhe contar um pouco sobre minha vida e como eu cheguei ao acampamento meio sangue. Bem, vamos lá...
Eu na minha opinião me considerava um garoto normal, mas acho que não era isso que as pessoas de minha escola pensavam, apesar de que era o mais alto da turma, o mais forte, sempre era tachado de idiota, monstruoso, ogro, entre outras ofensas ruins que você pode imaginar. Pois bem eu sofria todos esse tipos de xingamentos, sofria o chamado Bullying. Mas se deve estar se perguntando " Ué se ele é alto, forte e inteligente porque ele não dá uma surra nesses garotos?" Eu não gosto de sair batendo sem motivo, eles fazem isso porque, não tem amigos direito, não tem mais o que fazer então não via o porque de bater neles, sempre os ignorava.
Tinha amigos ali no colégio, eu era muito simpático com os outros, na maioria das vezes fazia amizades fácil e sempre muito alegre, bobalhão, engraçado e extrovertido. Conseguia sempre arrancar risadas de amigos, aqueles no qual eu podia confiar e me davam apoio. Então tinha uma pessoa na qual eu sempre tive a ajuda e o apoio, era Johnny, um garoto que não deixava passar batido as coisas, mesmo sendo bom ou ruim, ou ele agradecia ou se não "metia o chumbo" neles com suas respostas. Na maioria das vezes eu ria dele quando tentava se engradecer perante os outros com suas respostas na ponta da língua, realmente era engraçado de ver um garoto meio magrelo, de cabelos castanhos, acho que tinha 1,70 e falava meio fino as vezes devido a mudança de voz na puberdade. Ambos estávamos no 5º série quando nos conhecemos, Johnny não gostou do que estavam me xingando, eu como sempre passei reto ignorando, ele porem, me segurou pelo braço e disse:

- Ei amigo ? Vai deixar assim?

Eu dei ombros e fiz uma cara de quem não se preocupava. Ele não gostou de minha resposta e foi até os garotos e falou, falou, mas falou muito.
Fiquei meio chocado, ninguém nunca tomava iniciativa por mim, também nunca me preocupava mesmo, mas gostei da atitude do menino e perguntei se não gostaria de ir a minha casa, para a gente, jogar video-game, mexer no computador, curtir um pouco a infância afinal eramos crianças.
Pois bem daquele dia em diante ele se tornou meu melhor amigo, em quem eu confiava mesmo e sabia que podia contar com eles em todas as horas.
Hoje estamos juntos no 2º anos do ensino médio, sofrendo um pouco ainda as mesmas coisas de antes, mas levando agora a vida bem melhor, já não era excluído da sala, tinha amizade com todos, mas sempre um ou outro que ficava de implicância. Tinha crescido, ficado mais forte, mais atlético, acho que a palavra certa seria... Mais bonito. As meninas já não se afastavam tanto de mim, apesar de ainda ser meio estranho isso, um dia elas me olham com ignorância no outro estão em minha volta. Como eu não sou nenhuma pessoa rude, não fiquei julgando-as por não andarem comigo antes.

Bom, eu falei dos meus amigos da escola na 5º série, do meu melhor amigo e da minha escola atualmente. Porém faltou falar de minha família e de ocorridos que aconteceram e que hoje eu vivo todos os dias.

Minha mãe era dona de uma das maiores metalurgias do estado, essa fábrica produzia navios, aviões, estruturas metálicas, tudo de metal que você possa imaginar. Ela conseguiu essa empresa através de muito esforço e de meu pai, meu pai ele partiu assim quando eu era pequeno tinha uns 3 anos de idade, disse que era necessário, teria projetos para uma vida toda que poderia mudar muita coisa no mundo. Mas com a ajuda dele minha mãe que já gostava muito de metalurgia e ambos se conheceram na faculdade, fizeram um projeto e começaram do nada, pediram alguns patrocínios de empresários, mas muitos não confiavam no projeto, assim eles começaram do zero, com a ajuda de alguns só e hoje é uma das maiores empresas do país e quem sabe não dizendo do mundo também.

Um dia vi minha mãe sentada na cama, com o corpo inclinado, com os braços apoiado nos joelhos, fitando a carta fixamente. Me aproximei e perguntei o que era. Minha mãe suspirou fundo e falou:

- É uma carta de seu pai, e ele quer que você vá para um lugar, passar a ir lá todo o verão.

Me apoiei na barra da porta e perguntei:

- Que lugar seria esse?
- Acampamento meio-sangue
- Acampamento meio-sangue? - Falei com um som de duvida em minha voz.

- Sim, acho que você merece saber a verdade sobre seu pai. Conhece mitologia grega né?
Balancei a cabeça de modo positivo.
- Pois bem, seu pai é Hefesto, deus patrono do metal e do fogo.
Pensei que era brincadeira dela, mas olhei em seus olhos e vi um olhar de convicção, sabia que estava falando a verdade.
- Mas... Mas... Como isso? - Gaguejei meio chocado ainda com o fato.
- Você sabe que nos conhecemos na faculdade, ele na verdade estava só praticamente querendo saber como os humanos estavam aprendendo o que fazer com o metal, pois ele era o deus que manuseava o material. Ele gostava de minha vontade nos estudos, gostava de minha beleza. Eu também vi o quanto estava gostando dele, um moço alto, forte, tinha aparência até que bonita, então acabamos que se gostamos, vivemos por longos anos, me ajudou a levantar a fábrica e então tivemos você. 3 anos depois o Olimpo precisava dele, então ele teve que partir. E agora como você é filho de um deus e uma humana, você é um meio-sangue, por isso tens tanta aptidão em manusear o metal e não sofria queimaduras na maioria das vezes. Monstros estão a procura de você e de outros meio-sangue por isso, você deverá ficar um pouco lá no acampamento, ele é seguro e te ajudará no desenvolvimento.
Pensei muito enquanto ela falava, fiquei raciocinando todas as coisas que faziam sentido para mim, então decidi fazer o certo. Arrumei minhas malas, dei um forte abraço e um beijo em minha mãe e disse para não se preocupar, pois era o certo a fazer. Peguei um voo para NY e lá encontrei um ser que se apresentou como Jack e me levou até o Acampamento meio-sangue.




Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Qui 31 Maio 2012, 09:36

Alexander G. Damon, Reclamado Filho de Hefesto.
Seja bem vindo ao Acampamento.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Sab 16 Jun 2012, 18:43

1 — Por qual Deus você deseja ser reclamado ?

Bem , Sempre fui bem interessado em mitologia , apesar de nem sempre estar estudando a antiguidade . Perguntava em todo final de aula para meu professor, que era muito inteligente , sobre histórias e contos gregos , ele me explicou sobre quase tudo , eu ja estava fascinado , eo Deus que eu mais idolatrava era o Apolo , o Deus Do Sol e da Razão , fica maravilhado com com o fato dele

2 — Cite suas principais características, e o porquê de querer ser filho de tal Deus.

Eu vivia imaginando como seria legal ser um semideus como heracles , lutar contra monstros perigosos , mas ao mesmo tempo nao me via nada parecido como um semideus normal de antigamente , pois odiava espadas nao me via usando uma , não se encaixava no meu perfil sair correndo com uma espada , me via mais como um arqueiro , sempre adorei histórias como Robin Hood , acho ele um máximo , então foi logo aí que percebi que se eu fosse um semideus , usaria um arco , e qual semideus usaria um arco , logo seria um filho de Apolo . Mas ao mesmo tempo que pensava nesta hipótese , me achava meio louco , afinal como Deuses existiriam ?
Era meio estranho , mas quanto mais eu desacraditava , mais eu achava que poderia ser verdade , sempre me questionava pensando em como seria possivel , e foi ai que eu notei que alem da minha fascinaçao por arcos , eu era muito pensativo , oque elevava as chanses de eu Ricky S. Lewis , ser realmente um filho de Apolo ...

3 Relate a História de Seu Personagem...

Eu estava em um dia de aula normal, como todos os outros até que minha professora, que falava muito estranho como se estivesse com a língua presa, me chamou para conversar a sós na diretoria, meu amigo Tommy tentou me avizar de alguma coisa, mas eu não ouvi direito, quando cheguei na sala dela ela falou que essa seria minha ultima conversa, achei muito esquisito, a sala tinha um cheiro diferente, mas aparentava como qualquer outra. Ela começou a falar da minha vida, se eu estava satisfeito com ela até agora, tentei abrir a porta, mas antes que eu conseguisse, ela começou a se transformar, de uma professora, para um Monstro, me joguei para o lado enquanto ela golpeava o lugar onde estivera a alguns segundos, e então meu amigo Tommy Aparrce, junto de alguns cavalos? ...

Era o dia mais esquisito da minha vida, meu amigo aparece com alguns Cavalos meio Homens, para tentar me ajudar, derrotaram a professora com facilidade e me convenceram a ir com eles até um tal de Acampamento, onde eu ficaria seguro, no trajeto , fui me lembrando de contos mitologicos, que até alguns minutos atrás pensava serem apenas Mitos e fui me lembrando dos Centauros, dos Deuses, do Olimpo, e Principalmente minha fascinaçao pelo Apolo. Então ao chegar nesse tal Acampamento , logo fui a um refeitório , onde me perguntaram de qual Deus eu era Filho, e nao sei por que, mas respondi Apolo, tipo como se alguem tivesse susurrado em minha mente, então um sol começou a brilhar em cima de min, e todos começaram a aplaudir, e do refeitório , fui direto ao chalé de Apolo. E sobre meu amigo Tommy, descobri que ele era um irmão meu, que teve uma intuição de que eu era seu irmão , e pediu ao diretor do acampamento para me buscar...


Última edição por Ricky S. Lewis em Seg 18 Jun 2012, 18:24, editado 3 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Sab 16 Jun 2012, 20:22

O1 — Por qual Deus você deseja ser reclamado?
Ares
O2 — Cite suas principais características, e o porquê de querer ser filho de tal Deus.
Sou Marrento, gosto de ver Mortes e de Brigar
O3 — Relate a história da sua personagem - não haverá um limite de linhas definidos, deixe a sua criatividade fluir.
Percy Era Pequeno quando viu Ares pela a Primeira Vez, ele tinha 3 Anos. Percy Viveu com sua Mãe, e passou sua Infancia com ela.
Um Certo dia Percy Foi Para o Acampamento Meio sangue.. lá ele brigava muito com Muitas Pessoas então Percy fez amigos e viveu Aventuras.
Aos 14 Anos Percy Pediu para ver seu Pai para o Instrutor do Acampamento, logo ele disse que aquilo não poderia ser Realizado, Percy Meio Desanimado ficou no acampamento até os 16 Anos... logo depois Percy Saiu do Acampamento para Missões e etc... e sonha em um dia Conhecer Seu Pai Ares.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Sab 16 Jun 2012, 20:27

I can be


O1 — Por qual Deus você deseja ser reclamado? Quione
O2 — Cite suas principais características, e o porquê de querer ser filho de tal Deus.
Eu sou corajosa, fria com quem merece e um pouco desastrada. Eu gostaria de ser filha da Quione, pois eu me identifico muito com ela, ela é a minha Deusa favorita e foi uma das primeiras que eu conheci por causa de uma amiga. Desde que ouvi o nome dela, pesquisei sobre ela, li a sua história e amei.
O3 — Relate a história da sua personagem - não haverá um limite de linhas definidos, deixe a sua criatividade fluir.
Eu morava com o meu pai, a gente sempre ficava mudando, não passávamos mais de dois anos em uma mesma cidade. Por causa disso, eu não me esforçava em fazer amizade com as pessoas, eu sabia que nunca mais veria elas, então nem ligava. A unica pessoa em que eu me importava em manter uma amizade era com um amigo meu. Os pais dele foram mortos em um incêndio e ele veio morar com a gente. Meu pai adotou ele. Desde então, eu o considero como um irmão. Eu sempre fiz pergunta sobre a minha mãe para o meu pai, mas ele sempre mudava de assunto, o que me deixava com muita raiva. Um dia, eu tinha que fazer meu trabalho da escolha, sobre a minha árvore genealógica. Meu pai não era muito bom com mentiras, então não teve escolha a não ser contar para mim quem era minha verdadeira mãe. Desde que eu descobri sobre ela, pesquisei na internet, em livros, perguntei para as pessoas sobre ela.

your cocaine
template by: thepiscina from @ TdN!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Sab 16 Jun 2012, 20:58

- Percy Shadows - Sua história esta razoavel , mas eu sei que voce pode fazer muito melhor .
- Tenho orgulho de vc , e agora posso chama-lo de Meu Filho † - Reclamado *

- Hanna Hastings - Boa introdução , Historia razoavel tambem , poderia ter mais detalhes .
- Mas, Parabéns - Reclamada *
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Dom 17 Jun 2012, 00:09

This was never the way
I planned...
...not my intension.



O1 — Por qual Deus você deseja ser reclamado? Thanatos

O2 — Cite suas principais características, e o porquê de querer ser filho de tal Deus.
Eu sou uma pessoa muito fria, poucos são as pessoas que passaram pela barreira que eu criei envolta de mim. Eu não sou nem um pouco social, pois eu nem tenho o trabalho de me esforçar para fazer amizade, eu não quero fazer. As pessoas não ganham a minha confiança facilmente. A minha confiança é algo que leva tempo para ser conquistada. O passado de uma pessoa revela muito sobre ela. Eu gosto de saber o passado das pessoas que eu costumo andar, pois assim eu sei se eu confio nelas ou não. Eu sempre mostro destetar todos os seres vivos, dando respostas malvadas, ignorando, fazendo coisas ruins. Na escola, sempre levei muitas detenções por causa do meu passado, ele me afeta muito. Eu sou uma pessoa má por causa disso. Medo. Eu fiquei assim, fria, por causa do meu passado e por medo, do que? Nem eu sei direito. No fundo, eu sou uma pessoa animada e meiga que só queria ser normal... normal.. ta ai a ultima palavra que você iria me definir.
Eu gostaria de ser filha do Thanatos, pois admiro a morte, sei que ela vai acontecer algum dia, então não a temo. Eu gosto do Than, gosto da atitude dele. Ele foi um dos primeiros Deuses que eu ouvi falar.

O3 — Relate a história da sua personagem - não haverá um limite de linhas definidos, deixe a sua criatividade fluir.
Sempre fui uma pessoa que apreciei a morte, se um dia ela vai acontecer, por que teme-la? As pessoas me achavam estranha, eu era mais na minha. Morava com a minha mãe e com meu irmão em New York. Eu e ele sempre brigávamos, eramos insuportáveis quando isso acontecia. Ele era literalmente o oposto de mim. Alegre, social e medroso. Ele me acha estranho por apreciar a morte, eu nem ligo, a opiniao dos outros não vai me tornar melhor. O meu passado foi horrível, o meu pai sumiu quando eu era pequena, sumiu sem deixar explicações, simplesmente sumiu. Cada vez que eu pergunto para a minha mãe o que houve, ela da uma resposta diferente, eu já perguntei para as pessoas que moram há muito tempo no meu bairro, mas nenhuma delas tem uma explicação para o ocorrido. Quando eu era pequena, eu amava mitologia grega, eu pedia toda noite para minha mãe contar para mim. Eu sempre pesquisava nos livros e na internet sobre a mitologia, admirava os Deuses mais valentes. Mas o que eu nunca imaginei era que eu era uma semi-deusa. Um dia, como qualquer outro, eu estava voltando para casa, fui direto para o meu quarto, ficar na minha. Mas minha mãe me chamou para descer para a cozinha. Normalmente, isso era uma coisa ruim, pois quando isso acontecia, ela ia falar comigo sobre alguma ligação que a escola fez para ela falando do meu comportamento e blá blá blá. Desci na hora, pois se eu demorasse, ela ficaria mais zangada ainda, perguntei o que aconteceu e ela disse para eu sentar. A coisa era séria. Me sentei e esperei ela falar. Mas estava demorando, olhei para a minha mãe e percebi que ela estava quase chorando. Essa era a minha fraqueza, ver alguma pessoa importante para mim triste. Eu fui até ela e a abracei, coisa que eu quase nunca faço. Perguntei o que houve, mas cada vez que eu perguntava, ela chorava mais. Até que o meu irmão desceu também, ele conseguiu acalmar a minha mãe. Eu devo admitir, ele tem um dom para acalmar as pessoas e fazer elas se sentirem bem. Mas é claro que eu nunca falaria isso para ele. Depois quando ela conseguiu voltar a falar, minha mãe me explicou aos poucos o que eu realmente era. O meu irmão o tempo todo, ficou concordando com ela. Ele já sabia de toda a história. No início, eu achei que fosse alguma pegadinha, pois eu sabia que eles sabiam que eu amava mitologia grega. Mas depois, eu percebi que eles falavam a verdade, eu sou uma semi-deus, eu sou filha do Thanatos.



tagged Teste • place Algum lugar da Estrada • wearing blusa preta "rasgada", calça skinny preta, all star cano alto vermelho e touca vermelha. • weather [color=red]fresco e nublado/color] • music "Paradise" do Cold Play.



Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Dom 17 Jun 2012, 00:28

Alison, sua história está basicamente normal e suas características e o motivo por querer ser filha de Thanatos está ótimo. Ele terá orgulho te ter como filha :3
Reclamada.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Dom 17 Jun 2012, 01:46

" Summer sun, that blows my mind
is falling down on all that I've ever known
time will kiss the world goodbye
O1 — Por qual Deus você deseja ser reclamado?
Desejo ser reclamada por Ares, o deus da guerra
O2 — Cite suas principais características, e o porquê de querer ser filho de tal Deus.
Sou agressiva e impiedosa. Quando pequena, batia nos garotos que me chamavam de esquisita por ser diferente do resto. Tenho cabelos loiros, olhos verdes, gosto muito de usar o arco e flecha. Sou decidida, forte e estressada.
O3 — Relate a história da sua personagem - não haverá um limite de linhas definidos, deixe a sua criatividade fluir.
Aquela garota grande demais para sua idade, que é mais evoluída que os outros de sua sala de aula. A garota que é forte e determinada, mas também é uma pessoa e tem sentimentos. Aquela que tem vários amigos, mas só os tem por perto pois eles tem medo dela. Essa sou eu.
Anos e anos sendo temida em minha escola por ser diferente dos outros, mais forte, mais assustadora, menos humana. Passava meu tempo livre na aula de arco e flecha, sempre acertava o alvo certo, desde pequena tive um certo dom com qualquer tipo de arma, desde pouco á grande alcance. Tinha um amigo, Ben, ele usava moletas, tinha uma doença nas pernas... Bem, era isso que eu pensava.
Um dia andava pela floresta que tinha atrás da minha casa, com meu arco e a aljava nas costas. Sentei em baixo de uma árvore antiga e observei o céu através das folhas. Sentia o cheiro de orvalho daquela manhã. Logo, um cheiro estranho foi chegando mais perto. De instinto, peguei o arco e coloquei uma flecha, depois me levante rapidamente e observei o local. Algo se mexia numa moita, fui lá observar. Uma mulher estranha saiu da moita, ela tinha parte cobra, parte humana. Era estranha aquela situação, atirei uma flecha nela, que a atingiu na perna esquerda. Ela a retirou e pulou em cima de mim, me empurrando contra o chão. Dei um soco em sua face e a chutei na barriga, ela fora para trás e esbarrou numa árvore. Levantei com um pulo e peguei um pedaço de galho, do tamanho de um bastão de beisebol, então parti para o ataque. Acertei-a na cabeça, ela desmaiou na hora, sabia que ela podia acordar a qualquer momento, então peguei uma flecha de minha aljava e a cravei em seu coração, ela virou pó.
De repente, meu amigo, Ben, chega sem calças e falando coisas sem sentido sobre me levar para um acampamento. Ele praticamente me arrastou para uma estrada, jogou uma moeda no meio dela, então um táxi chegou em alta velocidade até a nossa frente. Entramos nele e vejo que tem três senhoras no comando, que brigavam por um olho. Logo, chegamos ao tal acampamento e um cara, metade homem, metade cavalo, chega até mim e me leva para uma casa, onde um cara baixinho jogava Pinochle.
-Venha, vamos explicar tudo a você, filha de Ares.
Percebo que ele estava olhando para algo acima de minha cabeça e levanto a mesma. Um simbolo com duas espadas cruzadas, vermelhas, cintilavam acima de minha cabeça. Então, enfim percebi que as lendas gregas eram verdade, que eu era uma meio-sangue, metade humana, metade deusa, filha de Ares, o deus da guerra.

falling down on all that I've ever known,
is all that I've ever known."

o que você quer dizer .notes }
sobre quem você falou .tagged }
o que você estava vestindo. .wearing }
falling down - oasis .song }
template by thai_ss @ TdN .credit }
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Dom 17 Jun 2012, 01:57

- Evelyn A. Rousvell - Introdução Boa , História Completa , e muito bem Detalhada , Ficou Bom Tenho Orgulho de Te Chamar De Filha ... - Reclamada *
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Dom 17 Jun 2012, 15:26

Ricky, melhore sua resposta, e faça a história, por favor ^.^
Ass: Íris
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   Dom 17 Jun 2012, 16:54


Astrid Haddley LeFleur

Nome: Astrid Haddley LeFleur
Idade: Tenho 16 para 17 aninhos
Progenitor divino que deseja e o por quê de querer ser filho do mesmo: Meu progenitor divino é Perséfone, esposa de Hades, deus do sub-mundo, e divindade das flores. Eu gostaria de ser filha de Perséfone, pois creio que ela devia ter essa liberdade de ser mãe na mitologia grega. Ela foi aprisionada por Hades no sub-mundo, perdeu a chance de viver com a luz do Sol o ano inteiro e, ainda por cima, não pôde ter filhos e filhas semi-deuses como a maioria dos outros olimpianos. Até o próprio Hades teve suas crias.
Cite suas principais características que o assemelham ao deus escolido: A primeira coisa que tem que saber sobre mim é que sou bipolar, uma chata, e não tenho vergonha disso. Sou uma garota de estatura mediana, por volta de 1,67 m, tenho pele cor de oliva e feições delicadas. Tenho olhos cor de mel, nariz fino e arrebitado e lábios carnudos. Meus cabelos são negros naturalmente, ondulados e pendem na altura dos ombros, atualmente num corte repicado rebelde. De acordo com as pessoas das escolas em que estudei, sou muito bonita {Rawr...}. Apesar de aparentar ser uma garota doce e gentil, não posso afirmar que isso seja verdade. Tenho personalidade e opinião forte, odeio perder qualquer coisa. Era uma garota mimada que sempre teve tudo que quis, e quando isso não acontecia ficava realmente brava. Hoje é diferente. Não dou muita importância para coisas de valor, estou numa fase pós depressiva, ainda me recuperando. Posso dizer que ainda tenho recaídas. Estou sempre em busca de atenção e me irrito muito fácil. Apesar de tudo, sou uma pessoa completamente diferente com meus amigos. Com eles, sou gentil e divertida. Apesar de ser difícil conquistar minha amizade, aqueles que conseguem nunca serão traídos por mim. Sou uma daquelas garotas que comparam à escuridão, fria e perigosa, porém também comparada às flores, apesar dos espinhos algo que vale a pena observar.

História: Nascida no dia dez de setembro, em 1993, Astrid nunca conheceu seus pais. Viveu durante dez anos num orfanato situado no centro de Quebec, onde teve que aturar irmãos irritantes e supervisoras de arrancar os cabelos. Devido à infância difícil, mais tarde Ás se tornaria uma adolescente fria e rebelde, atolada na bebida.
Quando completou onze anos, Astrid foi adotada por um casal de cardiologistas famosos em New York que não podiam ter filhos. Feliz por ter uma família, seus primeiros anos nos EUA foram extraordinários. Ela morava numa enorme mansão, tinha tudo que queria e convivia numa escola maravilhosa. Tudo mudou quando um casal de gêmeos foram adotados pelo casal, sendo assim, Ás ganhou dois irmãos mais novos. Ela queria mais atenção dos pais, acostumada a ser mimada, portanto começou a se envolver com a bebida e o cigarro aos 14 anos para que os pais a notassem, nem que fosse pelos motivos errados.
Depois disso mudou completamente. Começou a usar maquiagem escura nos olhos, roupas mais escuras e deixava o cabelo num estilo rebelde. A garota nunca ligou para o que diziam em suas costas sobre ser uma alcoólatra, vadia e coisas muito piores. Quando estava em uma rave com seu grupo de amigos, viu um mensageiro se aproximar. Ele tinha apenas um olho e parecia ter sede de sangue. Aquele foi o primeiro monstro a buscar por Astrid, que tinha apenas 14 anos e meio. Depois desse pequeno encontro, Astrid começou a pensar. Quando completou 16 anos, a garota largou a bebida e deixou a "depressão". Tornou-se menos insuportável. Percebeu que sua família nunca se importaria com ela, então fugiu. Começou a viver com seu tio de terceiro grau, um arqueólogo falido, e dizia a todos que ele era seu pai. Tudo ia bem em sua vida, até o dia em que seu pai adotivo morreu.


Código:
Essa parte da história se passa na época atual. Ela será narrada na primeira pessoa e contará sobre o dia em que cheguei no acampamento meio-sangue
... Atualmente

O barulho da chuva batendo no telhado do trailer era terrível. Como eu conseguiria me concentrar em meus desenhos com esse obstáculo? Obrigada natureza, por fazer uma tempestade num momento tão convencional como esse. Suspirei e adicionei mais um traçado forte no esboço de uma ponte que eu estava desenhando. Desenhar, meu único salvador do tédio nas noites de sábado enquanto meu pai trabalhava. Como se não bastasse ser a única garota inteligente na escolinha pública do bairro, ainda tinha que sofrer com a humilhação de ser filha do arqueólogo falido. Revirei os olhos para aquele pensamento, eu amava meu pai e apenas isso importava.

Estava quase acabando de fazer a sustentação da ponte, quando ouvi um estrondo vindo do lado de fora do trailer. Pulei da cadeira, assustada, e olhei ao redor procurando algo suspeito. Me levantei, peguei um rolo de macarrão e segui até a porta, de onde tinha vindo o barulho. Olho pela fechadura da porta e vejo a sombra de um bode iluminada pelo raio que acabara de cair. Espere um minuto! O bode está em pé? Meu sangue gelou, eu estava muito confusa. Depois de alguns segundos, a criatura fez a última coisa que eu esperava, bateu na porta.

- Béééé! - Ele ganiu, a coisa tinha uma voz esganiçada - Por favor, abra a porta! Elas estão chegando! Por favor, me deixe entrar!

Apesar de a possibilidade de eu abrir aquela porta estar completamente fora de cogitação, minha curiosidade falou mais alto. Uma criatura desconhecida queria falar comigo, quando eu teria outra chance de ver o inexplicável? Indecisa, abro a porta de metal e me deparo com um homem muito peludo. Ou melhor, com as pernas muito peludas. Ao ver seus chifres, solto um grito agonizado e acerto sua cabeça com o rolo de macarrão. Eu acabo de agredir um homem-bode.

O tempo ia passando, poderiam ter sido minutos, horas, ou até dias. Eu simplesmente não podia acreditar no que estava vendo, aquela criatura me lembrava muito um... Como era mesmo o nome daquele bode grego das aulas idiotas de história? Sátiro? É, acho que é isso. Não conseguia parar de encarar aquilo que eu acabara de abater com emu taco de macarrão. Segurei o braço do "homem" e puxei para dentro, com receio de que ele fugisse e chamasse mais amigos peludos. Eu não podia me arriscar a ter de encarar um bando de coisas como essa. Assim que levei-o para dentro, tranquei a porta e corri para cozinha em busca de um telefone. Meus dedos corriam pelos botões, lingando para a policia, minha única ideia. Assim que o atendente 24 horas atendeu a ligação, contei tudo o que tinha acontecido, mas acho que aprecia uma louca, porque ele brigou comigo dizendo que falsa denuncia era crime e desligou.

- Béééé! - A voz do homem-bode pairou no trailer - O que aconteceu... Ai meus Deuses! Elas estão chegando! Preciso encontrar a semi-deusa! BÉÉÉÉ!

Peguei o rolo de macarrão novamente e fiquei em posição de defesa. Se a criatura surgisse, eu poderia atacá-la na cabeça, pegar minha bicicleta no lado de fora e fugir na chuva. Não era uma má ideia, se bem que o chão devia estar coberto de lama fazendo minha bicicleta entalar. Suspirei, não sabia o que fazer. O homem bode apareceu na cozinha assustado, ele era magricelo e tinha cabelos negros encaracolados, encobrindo parcialmente seus chifres. Assim que ele deu um passo na minha direção, ameacei acertá-lo outra vez. Ele levantou as mãos em sinal de paz, porém eu continuava com desconfiada.

- Você precisa me ouvir, semi-deusa! - Ele disse, os olhos pareciam alertas e o nariz farejava o ar - Elas estão vindo, já mataram seu pai pelo caminho! Você precisa vir comigo!

Mataram meu pai? Semi deusa? O que estava acontecendo aqui? Eu respirava de forma ofegante, completamente apavorada. Caminhei na direção do homem, ainda armada, mas cai no chão ao sentir que o trailer estava sendo sacudido.

- Quem é você? O que está acontecendo? - Gritei alto o suficiente para ser ouvida através do trovão e dos barulhos da tempestade

O homem bode gritou de medo ao cair no chão assim como eu. Ele se levantou apressado e me colocou nas costas, apesar dos meus protestos. Não podia acreditar que estava sendo sequestrada por um bode, sentia a morte chegando. O possível sátiro arrebentou a porta com os cascos, pegou uma mochila na sala (que, por acaso, estava com minhas coisas. Estranho) e correu pela escuridão da noite, gritando coisas incompreensíveis.

- As emposa estão chegando - Ele repetia, desesperado - Longo caminho de Texas até Long Island... Acampamento Meio-Sangue...

Depois de várias horas, chegamos na estação de trem mais próxima do Texas. O possível sátiro me levou para um banheiro e vestiu roupas normais que tirara da mochila. Me entregou uma toalha (sério, como tudo aquilo cabia na mochila?) e pediu que eu me secasse. Como estava assustada demais para qualquer coisa, apenas assenti e o obedeci. Olhando de perto, ele até aprecia um garoto normal, tirando os dentes salientes.

- Desculpe, eu tive que fazer isso... - Ele disse, assim que sentamos num vagão de trem - Acho que te devo algumas respostas, certo Astrid? Meu nome é Finn, sou um sátiro protetor do Acampamento Meio Sangue.

Olhei confusa para ele. Como sabia meu nome? Isso não importava. Nada mais importava, eu não tinha mais família nem casa. Suspirei e indiquei que Finn continuasse com sua explicação.

Depois de quatro horas, chegamos em New York e minha mente ainda tentava processar as novas informações. Mitologia grega. Monstros. Névoa. Acampamento meio sangue. Tinha a leve impressão de que demoraria muito tempo para que voltasse para o Texas, mas o que eu tinha a perder? A vida. Pensando bem, minha vida até que era um preço justo depois de tudo que passei.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Reclamação de Paternidade Olimpiana   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Reclamação de Paternidade Olimpiana
Voltar ao Topo 
Página 1 de 3Ir à página : 1, 2, 3  Seguinte
 Tópicos similares
-
» O Espolio de Michael Jackson resolveu a reclamação feita pelo ex-proprietário de Michael em Las Vegas
» Acreditem se quiser, não citarei nomes PARTE I
» Behringer EuroPower
» Hartke X Warwick
» Fender: verdadeiro ou falso?

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Geral - RPG :: Apresentações-
Ir para: